Kojo, um “Cigano” da bola

Conheça um pouco da história de Kleyton Kojo no futebol profissional

Kleyton dos Santos Kojo passou por mais de quinze times, em cinco estados, em treze anos no futebol profissional, por isso pode ser chamado como um “cigano da bola”, um “cigano do futebol”.

Nascido em Umuarama, no Paraná, Kojo chegou em Videira, quando tinha 7 anos de idade, juntamente com seus pais. Deu seus primeiros passos no futsal com 12 anos, com o professor Adelmo Albiero. Em 1998, o título do Regional dos Joguinhos, por Videira, que culminou com a classificação para o Estadual e rendeu um recorte de jornal no Diário Catarinense, foi uma das motivações para o atleta, iniciar no futebol.

Meia atacante de origem, mas que ao longo de sua carreira atuou nas mais variadas posições, justamente pela dedicação nos treinamentos, e vontade de vencer.

Era polivalente em campo. Só não me arrisquei de goleiro, por causa da altura, comentou Kojo.

Clubes que defendeu no futebol profissional

Chapecoense (2003), Clube Atlético Fraiburgo (2004), CA Operário de Mafra (2005), Pery Ferroviário (2006), Joaçaba (2007 – Pré temporada em Imbituba), Três Passos/RS (2008), VEC/Videira (2008 e 2009), Cáceres/MT (2009), Caçadorense (2010), Umuarama (2011), São Domingos/Alagoas (2012), União FC/Alagoas (2013), Olímpico de Sergipe (2º semestre de 2013), Boquinhense/Sergipe (2014), CEO/Alagoas (2015), Penedense (2016), SC Campo Mourão (2016).

Chapecoense (2003)
Mafra (2005), umas das melhores equipes que Kojo atuou, logicamente opinião do próprio jogador.
Dificuldades na carreira

Dificuldades, na maioria dos clubes, a gente passa. Normalmente o treinador, o presidente te prometem uma coisa, e quando os resultados não aparecem, as coisas começam a sumir também. Mas minha dificuldade maior, foi em Mafra (SC), em 2006. Ligava pro Donizete, pra poder comprar algo. Ele me ajudou muito, tenho um admiração enorme por ele. Ele foi um pai na bola pra mim. Quando eu precisei dele, ele me ajudou. E eu valorizo muito isso.

Treinador que marcou

Orlando Bianchini, o Landão, foi meu treinador no Joaçaba, e também em Caçador. Esse cara foi um ícone, ele chegou a ser treinador do Internacional de Porto Alegre. Aprendi muito com ele, devo muito a ele. Me ajudou muito. Como pessoa, como ser humano foi incrível, infelizmente já faleceu. Ele fazia muito pelo atleta.

O primeiro a gente não esquece

No ano de 2004, no Clube Atlético Fraiburgo. Jogo contra o Figueirense B, no Estádio Macieirão, 2ª Divisão do Campeonato Catarinense. Kojo, fez o gol da vitória fraiburguense por 2 a 1, com um jogador a menos.

Resenha – Esqueceram de mim

Final do Turno, contra o Cidade Azul, em 2005. Em casa havíamos vencido por 1 a 0. No jogo da volta, em Tubarão, perdemos de 1 a 0 no tempo normal. Na prorrogação acabamos perdendo por 2 a 1 e ficamos com o vice. O treinador liberou quatro caixas de cerveja, para nós tomar. Pra aproveitar a deixa, levamos mais seis caixas de lata. No fundão do ônibus, tinha um lugar, que o motorista dormia. Eu fui lá neste lugar e por lá fiquei, tomando. Quando chegamos em Mafra, os cara me esqueceram dentro do ônibus. Acordei dentro do ônibus, não tinha mais ninguém (risos). Quando ia sair do ônibus, olhei pra fora, dois cachorros rottweiler, bah não tem com sair né? Por sorte, o motorista morava do lado.

Em 2017, foi um dos artilheiros da Copa Regional dos Campeões. Foi vice campeão em 2017 e 2019. Em 2017, ficou com o vice do Regional da LAC.

CURIOSIDADES

  • Em 1998, defendendo Videira, sagrou-se campeão regional dos Joguinhos;

  • Foi aprovado numa peneira para o Internacional. Chegando lá, muitos atletas de qualidade e ele acabou retornado;
  • Na temporada 2004/2005, foi sondado no Figueirense, que na época tinha o time B, com atletas como André Santos, Luciano Sorriso, entre outros.
JOGO RÁPIDO
  • Melhor gramado e mais bonito que jogou? Rei Pelé, em Alagoas
  • Melhor gramado de Santa Catarina? Arena Condá, em Chapecó
  • Estádio mais bonito de SC? Heriberto Hulse, em Criciúma. Detalhe curioso, no fosso, eles criam peixe.
  • Jogadores famosos que atuou contra? Odvan, Arílson, Dauri, Aloísio Chulapa
  • Seu clube de coração? São Paulo
  • Jogos marcantes? Final do Mundial de 2005
  • Seu ídolo? Ronaldinho Gaúcho
VEJA TAMBÉM
COMENTÁRIOS
Carregando