Bocha: O multicampeão Rafael Vanz Borges

Videirense de nascimento já conquistou o mundial de bocha

O videirense de nascimento Rafael Vanz Borges é um nome respeitado no mundo da bocha. Mesmo não tendo construído sua história esportiva propriamente em Videira, é motivo de orgulho para a ‘capital catarinense da uva’, afinal dentro os inúmeros títulos, é nada mais, nada menos, que campeão mundial.

Rafael chegou em São Ludgero em 1995, onde por dois mandatos exerceu o cargo de vereador e chegou a ser secretário de Administração e também Secretário Regional da ADR (interino), tudo isso pelo grande trabalho realizado por cinco anos como diretor de Esportes da CME de São Ludgero.

Recebendo homenagem em Garibaldi, referente ao título mundial.

O INÍCIO

Rafael começou a jogar bocha com apenas 12 anos de idade, através do grande incentivo do seu pai, Nico Borges, que o levava para o Clube Recreativo Floresta, em Videira. Por volta de 1989 saiu de Videira, após receber proposta de Joinville para disputar competições estaduais, pela maior cidade do estado.

Seu pai Nico Borges foi goleiro em várias equipes do citadino de Videira
O Rafael treinou comigo, ainda na Escolinha do Misto, depois na Perdigão, jogava muito, principalmente no futsal. Ele era garotinho ainda, quando começou a treinar bocha, criou gosto pela modalidade e abandonou o futebol. Eu pensava comigo, na época, que que este cara, quer com bocha? E hoje é um dos maiores jogadores de bocha do mundo, comentou Adelmo Albiero, ao La Pelota.

A TRAJETÓRIA

Com 15 anos, já estava na seleção brasileira juvenil da modalidade. Conquistou inúmeros títulos estaduais, de Jogos Abertos de Santa Catarina e Brasileiro. Disputou cinco mundiais e em quatro deles ficou entre os três melhores (Itália, Suíça, China e Brasil). É o atleta com o maior número de medalhas em mundiais, em atividade.

Na China, semifinal contra a Itália.

Em 2006, Rafael foi campeão mundial, em competição disputada na cidade de Monte Negro, no Rio Grande do Sul: na final o Brasil venceu a Itália. Rafael de Videira e André Backes de Erechim inclusive, até pouco tempo atrás eram os únicos brasileiros (nascidos no Brasil) considerados campeões mundiais pela Confederação de Bocha Internacional. Seus outros dois companheiros de equipe na ocasião, são argentinos naturalizados brasileiros.

  • Em 2019, Valdecir Garcia (de Chapecó) e Silvia Bohnenberger (de Brusque) foram campeões mundial de dupla mistas, disputado em Tucuman, na Argentina.

CURIOSIDADES

  • Rafael nasceu em 14 de março de 1974;
  • É neto paterno de Inocente Borges e Maria dos Santos e materno de Antônio Vanz e Alda Zanon;
  • Seus pais são Nicanor dos Santos Borges e Maria Leda Vanz;
  • Além de gestor esportivo o atleta é profissional de Educação Física;

VIDA, NEGÓCIOS E OUTROS

Atualmente reside em Termas do Gravatal é gestor esportivo, presta serviço para dez municípios da região, atual presidente (e fundador) do Instituto ADESC: Associação Desportiva do Sul de Santa Catarina. Possui dois canais eletrônicos (Bochas Brasil e Portal ADESC); o primeiro criado durante a pandemia, uma forma de retribuir tudo de bom que a bocha lhe deu durante 34 anos como atleta; já o segundo é seu canal desde 2016, onde é um sistema de organização esportiva e divulgação de todas atividades esportivas realizadas pela ADESC, bem como os municípios de abrangência.

CONQUISTAS

Borges já conquistou oito títulos catarinenses, além de cinco títulos nacionais (1992, 1994, 2002, 2003 e 2008); duas medalhas de bronze em mundiais (2003 e 2009), uma de prata (2008) e foi uma vez campeão mundial de clubes em 2006.

Raul Basoaldo (o Pelé da bocha argentina) e Rafael, em Roma.

Atualmente, o bochófilo treina e representa o Clube 7 de Setembro de Braço do Norte (desde 2017). O último título conquistado foi a 23ª Taça Brasil de Clube Campeões (2018), principal evento da Confederação Brasileira de Bocha e Bolão.

Rafael tem no currículo quatro medalhas internacionais. Uma de bronze, do Mundial de Seleções em Chiasso, na Suíça, em 2003; ouro no Mundial de Clubes em 2006, em Montenegro-RS; prata, no Mundial de Seleções em Passo Fundo-RS, em 2007; e bronze, no World Games, em Kaosheing, Taiwan.

PRINCIPAIS CONQUISTAS

  • Seletiva da Seleção Brasileira Juvenil – 1989;
  • Campeão Brasileiro de Seleções – Juvenil 1992;
  • Tri-campeão Jogos Abertos de SC – 1995, 2002 e 2007;
  • Tri-campeão Catarinense de clubes – 1992, 1995 e 2003;
  • Penta-campeão Catarinense individual – 1994,2002, 2003, 2008 e 2009;
  • Tri-Campeão Brasileiro de Seleções – 2002, 2003 e 2008;
  • Vice-campeão Sulamericano de Clubes – 2003;
  • 3º lugar no Campeonato Mundial de Seleções em Chiasso na Suíça, em setembro de 2003;
  • Campeão Mundial de Clubes – realizado em Monte Negro – RS, 2006;
  • Vice-campeão mundial de Clubes realizado em Passo Fundo – RS, 2007;
  • 3º Lugar no World Games(jogos mundiais), em Kaosheing, Taiwan na China popular;
  • Campeão da 23ª Taça Brasil de Clubes Campeões 2018 em Braço do Norte – SC, 2018 .

Experiências

  • Vereador de São Ludgero na primeira legislatura;
  • Membro por 05 (cinco) anos do CMDCA – Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente;
  • Diretor de Esportes da CME São Ludgero por 05 (cinco) anos, onde criou e organizou o Coroa Bom de Bola de Futebol Suíço (acima de 35 anos), Olimpíadas Interbairros com 12 modalidades, Taça Cegero de Futsal masculino e feminino, Jogos entre a Margem Esquerda X Margem Direita;
  • Atleta de bocha da CME São Ludgero por 10 (dez) anos conquistando vários títulos estaduais, nacionais e internacionais;
  • Idealizador do Projeto Tigrinhos em São Ludgero, uma parceria entre Criciúma Esporte Clube e o município que atende criança de 08 a 16 anos.

VEJA TAMBÉM
COMENTÁRIOS
Carregando