Doutor Jorge: o médico da bola

Jorge Antônio Lopes de Videira chegou em Videira, em 1989


Não me perguntes onde fica o Alegrete, segue o rumo do teu próprio coração, cruzarás pela estrada algum ginete e ouvirás toque de gaita e de violão […] Ouve o canto gauchesco e brasileiro, desta terra que eu amei deste guri, flor de tuna, camocim de mel campeiro, pedra moura das quebradas do Inhanduy, com este trecho do ‘Canto Alegretense’ de Neto Fagundes, dou a abertura nesta matéria.

Jorge Antônio Lopes Oliveira, médico anestesista, gaúcho de Alegrete, mas videirense de coração – chegou a capital catarinense da uva e do espumante em 1989, e logo de cara, já pode conviver com os astros da Perdigão, o primeiro grande time de futebol de salão do Brasil.

A FAMÍLIA

Em Alegrete, seus pais cuidavam de um bolicho (armazém que vendia de tudo, espécie de mini mercado), e desde sua infância, Jorge aprendeu grandes lições e valores, sendo um dos quais transmite até hoje: o carisma. Ou vai dizer, que nunca recebeu um bom dia, boa tarde, boa noite, desta figura emblemática?

Sua irmã, Carmen Lopes foi repórter da RBS TV por muitos anos. Nos anos 80, por exemplo, já fazia a cobertura de equipes de futebol, sendo uma das pioneiras em entrevistas de jogadores dentro do vestiário e campo.

Com 18 anos, Yura (como também é carinhosamente chamado), saiu de Alegrete, para cursar Jornalismo em Pelotas, porém sua paixão dos tempos de criança falou mais alto. Com dois anos de curso, mudou sua formação para ‘Medicina’, onde anos mais tarde se formou na Universidade Católica de Pelotas. Especializou-se em ‘anestesia’, sua grande paixão, pela Universidade Federal de Santa Maria.

Desde criança, Dr. Jorge mostrou paixão pelo futebol, era um assíduo praticante da modalidade, o que perpetua até os dias atuais, isso porque que toda quarta feira e sábado, joga (ou melhor entra em campo, risos) na turma do Matraca, que reúne aproximadamente 60 amigos, praticantes do futebol e de longas resenhas. Quando rola um gol do Doutor, ecoa a expressão: “Feito”.

Matraca FC de Videira: grupo de amigos se reúne toda quarta e sábado, para o futebol e também para as resenhas.

No futebol profissional, teve a grata satisfação de viver momentos únicos e históricos do futebol. Foi médico do Brasil de Pelotas e do Inter de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Uma de suas grandes alegrias, e ter vivido de perto a vitória do ‘Xavante’, diante do Flamengo, em 18 de julho de 1985, no Estádio Bento Freitas, diante de mais de 20 mil torcedores. Também acompanhou, na França, a final da Copa do Mundo de 1998.

  • O Brasil de Pelotas venceu o rubro negro carioca por 2 a 0, gols de Bira e Júnior Brasilia, e avançou a semifinal do Brasileirão de 1985, vencido pelo Coritiba. Na semifinal, o xavante perdeu para o Bangu do Rio de Janeiro.
  • Em 1984, Yura foi campeão Estadual Júnior, com o Brasil de Pelotas.
Em 98, esteve no Stade The France, assistindo a final da Copa do Mundo, entre Brasil e França. Ou seja, é pé frio!

Jorginho, possui uma coleção de camisas, que expõe com o maior orgulho. Em uma delas, tem o autógrafo de Felipão, campeão mundial com a seleção brasileira, em 2002.

Viveu de perto os bastidores do futebol profissional, teve contato, com grandes nomes, como por exemplo: Murtosa, Valmir Louruz, Cuca, Felipão, Cléber Xavier (assessor do Tite), Luiz Carlos Cruz, Levir Culpi, entre outros.

O APELIDO YURA

Devido à semelhança, com Yura, ex-ponta e meia esquerda do Grêmio de 1972 a 1981. Ele é autor do gol mais rápido em grenais, aos 14 segundos do primeiro tempo, em 1977.

Qualquer semelhança é mera coincidência!

BASTIDORES

Gilberto Marques, amigo do Dr. Jorge, era o ‘encarregado’ de encher e calibrar as bolas, nos jogos no Estádio Macieirão, nos tempos do CAF Fraiburgo. Era uma forma, que ele tinha de conseguir o contato mais próximo com a arbitragem da partida, e de certa forma, exercer uma ‘leve pressão’ aos homens do apito.

RESENHA

Ainda nos tempos do CAF, recebeu uma ligação, às 03 horas da manhã, sendo que a Polícia Militar, informou a ele, na época presidente do time, que os jogadores do Clube Atlético Fraiburgo, estavam detidos no destacamento, por estarem utilizando o “orelhão” para fazer ligações para Rio de Janeiro, São Paulo e outros estados, a altas horas da madrugada, certamente em um tom acima da média, para tal horário.

Com uma boa conversa e pedidos de desculpa, os jogadores foram liberados. No dia seguinte, o CAF venceu o Criciúma.

CAF Fraiburgo (1999 – Catarinense da 1ª Divisão) – Doutor Jorge, o primeiro agachado

VIDEIRA ESPORTE CLUBE: Médico, presidente, torcedor…

Um abnegado pelo futebol, não podia ser diferente, em Videira, sua cidade do coração. Juntamente com Gilson Parolin, Nereu de Paula, e outros tantos colaboradores, comandou os áureos tempos do Videira Esporte Clube, vice campeão da Divisão de Acesso, em 2006.

No jogo mais emblemático, Dr. Jorge, um torcedor, vestido de médico, em campo, juntamente com a equipe do VEC, inconformado com a atuação da arbitragem, invadiu o campo para pressionar o Sr. Luiz Orlando de Souza, na derrota para a Camboriuense, no primeiro jogo da decisão.

VEC Videira – Vice campeão Divisão de Acesso de 2006. Dr. Jorge, o terceiro em pé, ao lado do técnico Beto Froner.

No vídeo a seguir, a invasão de campo, em 2006.

Dr Jorge era um torcedor do VEC, dentro de campo, literalmente

ADV FUTSAL

Desde a fundação em 2008, Jorginho foi o médico da Associação Desportiva Videirense. Acompanhou de perto o título da Copa Santa Catarina de 2011 e o Estadual de Futsal da 1ª Divisão, em 2012.

Vivi bons momentos no futebol. Sem sombra de dúvida, faria tudo de novo

BOCA-BOCA

Em um certo jogo do Matraca FC, em Videira, teve que mostrar suas qualidades médicas. O goleiro de sua equipe bateu a cabeça, e teve uma parada cardíaca.

Outros médicos, auxiliaram no pronto atendimento ao goleiro, mas coube ao Doutor. Jorge, fazer o boca-boca. Questionado ele respondeu:

Por sorte ele sobreviveu, e não se apaixonou.

DOIS OUVIDOS

Torcedor assíduo das equipes videirenses, seja qual fosse o esporte. Quando não podia acompanhar de perto, ouvia as partidas pelo rádio, o companheiro de todas as horas.

Certa ocasião, Marciel Tascheck (Rádio Vitória) entrou numa panificadora de Videira e o Dr. logo veio o cumprimentar, e comentou, estão indo transmitir jogo né? vou ouvir vocês de noite. No mesmo momento, Wilson Antônio (Rádio Videira) entrou na mesma panificadora, e Jorginho falou: vou ouvir você também, afinal tenho dois ouvidos (risos).

PRÉ-CANDIDATO A DEPUTADO ESTADUAL

No programa Show do Esporte da Rádio Vitória, Dr. Jorge (que já foi vereador e vice prefeito da cidade de Videira), manifestou seu interesse em ser candidato a Deputado Estadual no próximo pleito eleitoral, e o desejo de ser um representante de Videira e região na Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

Oxalá, na política estadual, o complemento, do Canto Alegretense: “Cada verso que eu componha é o pagamento, de uma dívida de amor e gratidão“.

  • Doutor Jorge participou do programa Show do Esporte da Rádio Vitória no dia 11 de janeiro de 2021.
VEJA TAMBÉM
COMENTÁRIOS
Carregando