História Hilária: Bandeirinha alcoolizado e o pênalti que não foi batido

Fato aconteceu no Municipal de Futebol de Campo de Pinheiro Preto, em 1997

Você pode até não acreditar, mas tal fato aconteceu, ou melhor, encontra-se citado, em súmula do Campeonato Municipal de Futebol de Pinheiro Preto de 1997.

No dia 21 de setembro daquele ano, jogavam no Estádio Municipal de Pinheiro Preto, Avenida e Palmeiras. Aos 27 minutos do segundo tempo, o árbitro da partida marcou uma penalidade máxima a favor do Palmeiras de São Roque; o Avenida, que vencia o jogo por 2 a 1, não concordou com a marcação do árbitro e abandonou o campo de jogo, retirando, inclusive a bola da marca da cal, para que o pênalti não fosse batido. O jogo terminou por ali mesmo.

Até aqui, tudo bem, já ouvi relatos de inúmeros pênaltis que não foram batidos. O que chama a atenção mesmo, é que um dos assistentes (bandeirinha) da partida ofendeu moralmente o árbitro da partida.  Estranho não é? Afinal, o trio de arbitragem tem que trabalhar junto, no mesmo objetivo.

Importante destacar, que na época, a arbitragem era feita por voluntários das equipes envolvidas na competição, o que as vezes, levava a marcar lances, com o coração e não com a razão.

Enfim, a tal súmula ainda relata, que o assistente estava ingerindo bebida alcoólica, antes e durante a partida. Durante o jogo, um atleta do Palmeiras inclusive retirou a bandeira da mão dele.

Não irei citar o nome, dos envolvidos na equipe de arbitragem, para não gerar desconforto. A partida teve um jogador expulso.

Avenida jogou com: Edson, Valdemir, Luciano, Valdair, Carlos Custódio, Luiz Moraes, Brisola, Valdir Ritter, Zinho, Ritinho

Palmeiras jogou com: Elder, Sérgio, Claudemir, Deonildo, Silvano, Cleiton, Elizeu, Edson, Roberto, Luciano, Elio, Nelson, Dirceu e Ari.

O Vasco de Linha Caxias, foi campeão do Municipal de Futebol de Pinheiro Preto de 1997. Na decisão, venceu o Pinheirinho pelo placar de 3 a 0

 

VEJA TAMBÉM
COMENTÁRIOS
Carregando