Cabinho, o caçadorense artilheiro no Paysandu

Conheça um pouco a história do centroavante, natural de Caçador

Criado no Bairro Tedesco, em Caçador (SC), Aquiles Fernando Kupfer, o Cabinho, foi um grande centroavante, cabeceador, fazedor de gols, que possuia um chute potente na perna canhota, e que com toda a certeza, gravou seu nome na história do esporte nacional. Em 1987, foi o maior artilheiro entre todos os campeonatos estaduais do Brasil.

Teve grande destaque no futebol paraense, sendo o quinto maior artilheiro do Paysandu com 127 gols (é o maior artilheiro do ‘papão’ desde a década de 80) e figura importante também no último título estadual da Tuna Luso, em 1988 (na época uma potência).

Clubes

Cabinho, rodou por diversas equipes do Brasil. Algumas estão citadas no material abaixo extraído da internet.

Paulinho França e Cabinho comemoram gol do Kindermann
CURIOSIDADES SOBRE CABINHO
  • Em 1980, foi contratado pelo Palmeiras de Blumenau. No dia 31 de agosto, o clube entrou em campo com a nova denominação (Blumenau EC) e Cabinho foi autor do primeiro gol, o único na vitória de 1 a 0 sobre o Joaçaba.
  • Uma das maiores alegrias de Cabinho no futebol: Em 1982, foi convocado para a Seleção Brasileira de Novos, que disputou o Torneio em Kuala Lampur, na Malásia.
  • No Paysandu, Cabinho chegou com a díficil missão de substituir Chico Spina, ídolo do clube alviazul;
  • No Brasileirão de 1983, chegou a marcar gol no Flamengo, que foi o campeão daquele ano;
  • No Estadual de 1984, marcou 21 gols pelo Paysandu, além de conquistar o título;
  • Em 1987, anotou 24 gols no estadual, sendo novamente artilheiro, só que desta vez, a artilharia máxima da temporada, entre todos os estaduais do Brasil;
  • Em 1988, defendeu o Tuna Luso (rival do Paysandu), onde foi campeão estadual, e anotou 10 gols. O título só foi homologado nos tribunais, em 1992. Foi o último título estadual da Tuna Luso;
  • Após passagem por inúmeros clubes do Brasil, Cabinho se aposentou dos gramados em 1995;
  • Foi três vezes artilheiro do campeonato paraense (82, 84 e 87). Em 1982 marcou marcou 12 gols, em 1984, vinte e um; e em 1987, 24 tentos;
  • Marcou mais de 160 gols na carreira;
  • Após pendurar as chuteiras, Cabinho foi técnico do Kindermann de Caçador (1998-1999), mas acabou desiludindo-se com o futebol e não seguiu na carreira fora das quatro linhas;
  • Atualmente se sustenta administrando um posto de combustível, no estado do Mato Grosso

Com o Kindermann foi campeão da Taça RBS de 1998. Comandou a equipe também no ano de 1999
Títulos

Campeão da Segunda Divisão Paulista em 1982 (Velo Club)
Campeão paraense em 1982, 1984, 1985 e 1987 (Paysandu)
Campeão paraense em 1988 (Tuna Luso)
Campeão catarinense – Sub 20 em 1998 (Atlético H. Aichinger)

Informações: Memorial do BEC; Zero Zero; Wikipédia e Internet

VEJA TAMBÉM
COMENTÁRIOS
Carregando