Futmesa Caçador: conheça um pouco sobre a modalidade e a equipe

Equipe foi fundada em outubro de 2008.


Os áureos tempos do Kindermann, foram registrados de uma forma diferente e bastante criativa. Em 2010, o torcedor e adepto do ‘futebol de botão’, ou melhor futebol de mesa, Ricardo Kinal teve a ideia de confeccionar um “jogo” com os astros da equipe caçadorense.

Patricio, Ademir Sopa, Reinaldo, Paulinho França, Borjão, Luciano, Bibico, Baiano, Tita, Marcelo Carioca, Reatto, entre outros, eram as estrelas do time, que marcou época, e disputou o Campeonato Catarinense de Futebol, em 1999 e 2000.

Uma ideia diferente, de eternizar os ídolos e também levar o município de Caçador, pelos campos, ou melhor, mesas do estado.

Ao invés de chuteira, caneleira, luva, utilizadas no futebol tradicional, palheta, botões em acrílico, flanelas, cera, silicone, são alguns dos equipamentos necessários para a prática do Futmesa.

Confira a matéria especial do La Pelota, que você ficará bem informado, sobre a modalidade.

Ricardo Kinal figurou na 4ª, 6º e 7º lugar, em diferentes anos do Sul Brasileiro. Em 2018, foi campeão de uma etapa do Catarinense.

Caçador possui uma equipe chamada Futmesa Caçador, sendo que seus atletas conquistaram importantes títulos desde a sua fundação, em 2008, como por exemplo o tricampeonato Sul Brasileiro, e o tetra estadual, com o atleta Alessandro Schneider, o Schina.

Com 6 anos, jogava o futebol de botão tradicional, mais como brincadeira de criança, do que como esporte. Na modalidade oficial 12 toques, iniciei no ano de 1994, com 15 anos de idade, na cidade de Ivaiporã, estado do Paraná. Em 1997, juntamente com minha família me mudei para Caçador, onde o esporte ainda não era difundido. De fato, fiquei um tempo sem jogar, e disputei alguns campeonato nacionais porJoinville. Foi então que em 2005, surgiu a ideia de fazer uma matéria em jornal para divulgar a nova modalidade esportiva na cidade. Então, um médico da cidade de Caçador, Doutor Jacson Bernardy, me ligou dizendo que jogava no Rio Grande do Sul, antes de vir para cá. Fizemos amizade, começamos a treinar juntos, na casa dele, e pouco tempo depois, apareceu mais um interessado, e assim formou-se o clube. Em 2008, já estávamos com 6 ou 7 jogadores, daí resolvemos criar um nome, porque até então, disputávamos usando nomes de outros clubes da cidade, como por exemplo o próprio CAC (futebol de campo), comentou Alessandro ao site La Pelota.

Alessandro, o Schina

Alessandro disputou treze campeonatos brasileiros, que é sem sombra de dúvidas a competição mais difícil e renomada, afinal só os melhores de cada estado participam.

De pai pra filha…
Uma das primeiras formações, do Caçador Futmesa, em 2008

Ricardo Kinal, outro abnegado da modalidade, relatou:

Iniciei na modalidade, por intermédio de meu compadre Alessandro, que fazia mais anos que já estava praticando e participando de competições. Em 2007, veio uma competição da modalidade para Caçador, foi aí que tive meu primeiro contato com o ‘futebol de mesa’, e comecei a gostar do esporte e treinar junto com a equipe. Me ensinaram como pegar a palheta e por aí seguiu, o aperfeiçoamento das técnicas e paixão pela modalidade. Minha primeira competição foi em São Bento do Sul.

Conheça algumas curiosidades sobre a equipe caçadorense

  • Futmesa, ou futebol de mesa, o antigo futebol de botão (do tempos de criança);
  • O Caçador Futmesa foi fundado oficialmente em 23 outubro de 2008. As cores principais do clube são: preto e amarela. O mascote: A capivara. A camisa: estilo a do Penãrol;
  • Caçador participa de competições a nível estadual e algumas nacionais, caso obtenha classificação;
  • A equipe caçadorense possui 5 jogadores, sendo 4 de Caçador e um reforço de Chapecó;
  • Os treinos acontecem duas vezes na semana e as competições geralmente acontecem nos finais de semana;
  • A equipe caçadorense, possui dois títulos catarinenses e três vices campeonatos;
  • Alessandro é tricampeão Sul-Brasileiro (competição que envolve os estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina) e tetracampeão estadual (atual detentor do título);
  • Alessandro tinha vaga garantida para o Campeonato Brasileiro (em São Paulo) e para a Copa do Brasil de 2020 (em Londrina), porém ambos eventos, foram cancelados, em virtude da pandemia do Covid-19. Os eventos foram transferidos para 2021;

Conheça algumas regras da modalidade – ‘Futmesa 12 Toques’

  • O jogador pode dar 11 toques antes do chute (precisa avisar o adversário toda vez, que for chutar pro gol. Depois do chute, seja qual for o resultado, a posse de bola, passa pro adversário.
  • Os chutes só podem ser dados para frente do meio de campo;
  • Cada botão pode dar no máximo 3 toques. Se a bolinha pegar no botão adversário, perde a posse de bola. Se bater na bolinha, mas atingir um botão adversário, é considerado ‘advertência’, quando isso acontece o jogador só pode dar mais três toques na bolinha
  • A bolinha é redonda e de feltro;
  • Tempo de jogo – No individual: dois tempos de 10 minutos;
  • Possui duas categorias: master (acima dos 46 anos) e adulto (até os 46 anos). Porém, quem esta na categoria master, pode se inscrever no adulto;
  • Um fato curioso é que o jogo, não possui árbitros. Por isso é considerado um jogo de cavalheiros;
  • Existem disputas para o individual e equipes. Aí conforme a classificação é dividido, em série ouro, prata e bronze;
  • Os três primeiros da classificação geral, garantem vaga para o Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Sul Brasileiro;
  • Jogadores mais antigos, de São Paulo e Rio de Janeiro, chegam a disputar competições a nível mundial. Existe a Federação Catarinense e Brasileira da modalidade.
  • A Confederação Brasileira possui diversas modalidades do futebol de mesa, mas a mais difundida, sem dúvida é a “12 toques”, seguida da “Dadinho”. A “12 toques” é a que mais se assemelha ao futebol real, pela bola redonda e condução de bola, por exemplo;
  • Um jogo completo é composto por 12 jogadores/botões e mais o goleiro. 10 são utilizados ( + o goleiro) e os outros ficam de reserva, caso um estragar ou não estiver deslizando na mesa;
  • Tem dois tamanhos de jogadores. Seis de tamanho maior de 60 milímetros, que são os de defesa. Seis menores, de 56 milímetros, que são utilizados no ataque.
Caçador Futmesa: símbolo atual

A equipe

Ricardo Kinal, Alessandro Schneider, Lediel Burg Stein, Rodrigo Ferreira (Rodrigão), Denis Snichelotto

As equipes de Santa Catarina

O estado de Santa Catarina possui oito equipes de futebol de mesa. São elas: Adrecha (Joaçaba), Marcílio Dias (Itajaí), Cruzeiro (Joinville), Avaí Futmesa (Florianópolis), Gaspar, São Bento, AABB (Blumenau) e o Caçador Futmesa.

A diversão é garantida e rever os amigos do Brasil todo, uma vez por ano é a melhor parte. Claro, que existe a competição, todos querem ganhar, mas o clima é muito amistoso, sempre foi, finalizou Alessandro.

Para quem se interessou na modalidade, o La Pelota, apresenta um custo médio dos equipamentos:

  • Mesa, na faixa de R$ 400,00
  • Botões acrílicos (varia muito, depende das decorações, cores…) – Times completos variam de R$ 160 a 500 reais

Final do Brasileiro de 2019 – Robertinho (Clube Curitibano) x Tico-Mico (Círculo Militar – SP)

VEJA TAMBÉM
COMENTÁRIOS
Carregando