Histórias da bola: Marcos Milhão no CAF

Expulsão e conhaque, no jogo do Pinhão, contra Lages

Fazia muito frio naquela noite no Estádio Edir Prestes Valin, o popular Macieirão, em Fraiburgo, o ano era 1999. Uma garoa fina, uma quarta feira à noite, quase nevando (sem exageros) e 767 torcedores acompanhando o confronto válido pela 1ª Divisão do Campeonato Catarinense. Um jogo emblemático, que ficou marcado por duas situações engraçadas. O CAF (Clube Atlético Fraiburgo), enfrentava naquele dia, o Lages Esporte Clube (LEC).

O técnico Rafaele Granitti com o auxílio do preparador físico, deixou pronto dezoito (18) copinhos/doses de conhaque, em um canto do vestiário fraiburguense, para literalmente dar uma “esquentada no pelo dos jogadores”, como diz o ditado popular.

Os relatos de jogadores da época, dão conta de que cada série de exercícios, que o atacante Marcos Milhão, dava no aquecimento, ele tomava um ‘copinho’, com água que passarinho não bebe. Dos 18, ele deve ter tomado uns 14 (risos).

Foi então, que a primeira surpresa da noite, aliás uma proeza, que poucos conseguem. Com menos de três minutos de bola rolando, Milhão foi expulso pela arbitragem da partida, do Senhor Alcenir Crispim da Silva, deixando o CAF, praticamente os 90 minutos com um jogador a menos.

Na volta pro vestiário, no intervalo (partida estava empatada, sem gols), a delegação fraiburguense, encontrou Milhão, aos prantos. Um ‘negão’ de 2 metros, inconsolado e diga-se de passagem, embriagado chorando. Por sorte dele, no segundo tempo, o CAF fez quatro gols e venceu o confronto.

  • Anos mais tarde, o centroavante Marcos Milhão, foi ídolo no São Paulo de Rio Grande, onde foi artilheiro.

JOGO DO PINHÃO

A outra curiosidade desta noite é que esta partida, ficou conhecida como o Jogo do Pinhão.

Na partida, em Lages, Nequinho (que foi campeão no CAF, em 1998 da segundona) marcou um gol e mordeu uma maçã, provocando a equipe de Fraiburgo, isso porque o município é conhecido como a ‘terra da maçã’. Ah, mas teve volta! A maçã ficou entalada na garganta, ou então não foi digerida.

Na partida, em Fraiburgo, vitória do CAF e “chuva de pinhão” na torcida e atletas de Lages. Devolvido a brincadeira, com juros e correções (risos). Tempos de futebol raiz!

  • Na partida do turno em Lages, 2 a 1 para a equipe lageana. No Macieirão 4 a 0, para o CAF.
  • Donizete foi um dos responsáveis por jogar pinhão nos atletas de Lages, ao invés de jogar na torcida (risos)
  • Torcedores que estavam no Macieirão comentaram que também foram levados alguns cincerros no estádio e a torcida chacoalhava. 
  • O goleiro do LEC era o Carlão, que se machucou naquele ano e não atuou, em nenhuma partida. Aí foi contratado o Goico, que foi campeão da Segundona, com Fraiburgo, em 98.
Errata: No lugar de Itá, quem jogou foi Donizete, um dos responsáveis pela chuva de pinhão
VEJA TAMBÉM
COMENTÁRIOS
Carregando