O clássico da linguiça

Perdigão x Sadia travaram grandes duelos, entre os anos de 1985 e 91

O texto a seguir foi escrito pelo jornalista André Podiacki, falecido no acidente aéreo da Chapecoense. Pelo valor histórico republicamos na íntegra. A fonte é o Blog do Piacki, do ClicRBS

Time de futsal da Perdigão campeão brasileiro de 1987. Em pé Lucema (preparador físico), Júlio, Jackson, Pança, Benatti, Márcio e Joaquim (supervisor); sentados: Valdecir, Ricardo, Mussalém (técnico), Fabinho e Norberto; agachados: Nélio (massagista), Ivan, Paulinho, Ike, Luiz Jorge e Adelmo Albiero (mordomo). Foto: livro ‘Santa Catarina, terra de dos esportes’, do Governo de Santa Catarina.  

Em 1985, uma partida de futebol de salão ficou conhecida no Brasil como o clássico da linguiça. A disputa entre duas grandes empresas de alimentos saiu das prateleiras dos mercados e foi parar na quadra com as equipes de Perdigão (Videira) e Sadia (Concórdia).

Durante seis anos esse foi o maior clássico do futsal catarinense, pois as duas equipes eram as principais do esporte da bola pesada, em Santa Catarina. Ao total foram quinze partidas entre 1985 e 1991. Foram 11 vitórias para a equipe de Videira, três vitórias para a Sadia e um empate.

Chico Lins, um dos maiores jogadores de futsal da história de Santa Catarina, atuou na equipe da Perdigão em 1989 e participou de dois clássicos. Foram duas vitórias apertadas por 2 a 1.

O clássico da linguiça era forte. A Sadia não tinha um time tão potente quanto a Perdigão na época, mas tinha um timaço – recorda Chico Lins.

Sadia de Concórdia esteve em Videira, no ano de 2017

Uma das diferenças entre as equipes era que a Perdigão contratava muitos jogadores de fora de Videira, enquanto a Sadia criava seus atletas na categoria de base.

– A Sadia tinha jogadores que eram muitos bons, mas formados nas categorias de base de Concórdia. Eu me lembro do Gil, do Xavantina, e do goleiro Jace – lembra Chico.

A rivalidade foi à marca registrada do encontro entre os times do clássico da linguiça. Afinal, as duas empresas que davam nome aos times eram grandes rivais no mercado de alimentos, antes da fusão entre Perdigão e Sadia em 2009, que deu origem a BRF.

– Eram duas empresas do mesmo ramo, duas equipes muito fortes do futebol de salão. Então, a rivalidade era muito grande – finalizou Chico Lins.

Um clássico que marcou o salonismo catarinense por dez anos, voltou a ser reeditado no Ginásio Vermelhinho da SER/BRF, no dia 29/07/2017, com vitória da Sadia pelo placar de 2 a 1.           FOTO: LA PELOTA

Em dezembro de 1991, a Perdigão botou fim ao ‘supertime’ de futsal alegando problemas financeiros. Ao todo a equipe de Videira conquistou 21 títulos, incluindo o bicampeonato brasileiro (87 e 90) e o tri sul-americano (88, 89 e 90). A Sadia não demorou a acabar com seu time e no fim de 1994, também por motivos financeiros, encerrou as atividades no futsal.

Confira abaixo a lista dos 15 jogos oficiais disputados entre as equipes:

14/09/1985 – Sadia 3 x 4 Perdigão – Partida em Concórdia
16/11/1985 – Perdigão 10 x 1 Sadia – Partida em Videira
28/12/1985 – Perdigão 2 x 1 Sadia – Partida em Videira
13/12/1986 – Sadia 3 x Sadia – Partida em Concórdia
18/12/1987 – Perdigão 8 x 2 Sadia – Partida em Videira
12/11/1988 – Perdigão 3 x 0 Sadia – Partida em Videira
28/11/1988 – Sadia 1 x 4 Perdigão – Partida em Concórdia
13/12/1988 – Perdigão 2 x 2 Sadia – Partida em Videira
28/12/1988 – Sadia 1 x 5 Perdigão – Partida em Concórdia
22/12/1989 – Perdigão 2 x 1 Sadia – Partida em Videira
29/12/1989 – Sadia 1 x Perdigão – Partida em Concórdia
07/12/1990 – Sadia 4 x 3 Perdigão – Partida em Concórdia
18/12/1990 – Perdigão 3 x 5 Sadia – Partida em Videira
07/07/1991 – Perdigão 4 x 3 Sadia – Partida em Goiás
27/08/1991 – Sadia 4 x 2 Perdigão – Partida em Concórdia

  • Amistosos: Perdigão 6 x 6 Sadia (em Fraiburgo/2012); Perdigão 5 x 5 (em Concórdia/2012); Perdigão 1 x 2 Sadia (em Videira/2017)

O DIA QUE A SADIA CALOU O VERMELHINHO

Embora os números comprovam, que a Perdigão tem supremacia no clássico, um fato histórico e triste pro lado videirense, aconteceu em dezembro de 1990.

No estadual daquele ano, a Sadia, levantou o caneco (tanto do juvenil, como do principal/adulto), dentro do lendário Ginásio Vermelhinho, em Videira, que ficou calado e sem acreditar no que estava vendo.

Detalhe: o juvenil havia ganho, fora de casa, em Concórdia, por 8 a 0; e perdeu em casa no tempo normal e na prorrogação. Coisas do imprevisível futsal e um dos grandes feitos da Sadia, sem sombra de dúvidas.

Perdigão – Campeã da Taça Brasil de 1990
Atletas da Perdigão na academia. Preparação física, era fundamental já na época.
VEJA TAMBÉM
COMENTÁRIOS
Carregando