Personagens do Esporte: Alexandrina, multicampeã no judô

Xanda conquistou várias medalhas defendendo Joaçaba

Você sabia que a pinheiro-pretense, Alexandrina Ferreira Voidaleski, a Xanda é campeã catarinense de judô?

Alexandra, a segunda em pé da esquerda para a direita.

Xanda, como é carinhosamente conhecida é natural do município de Água Doce (nascida em 1968), mas sempre treinou e lutou pela cidade vizinha de Joaçaba, mesmo depois de casada e com os filhos residindo em Pinheiro Preto.

Alexandrina comentou ao La Pelota: “ Durante todos os anos de competição, lutei em quatro categorias diferentes: médio, meio pesado, pesado e absoluto, conquistando inúmeras medalhas, porém não recordo exatamente os anos, as categorias e conquistas especificamente. Tenho na minha galeria uma medalha de bronze da Confederação Brasileira de Judô , que acredito ser do Sul Brasileiro. Recordo que ganhei de uma menina do Rio de Janeiro então pode até ter sido um Brasileirão, ou algo neste sentido”.

Recorte de jornal enaltecendo a conquista do bicampeonato do JASC do judô de Joaçaba, em 1990

Judô uma de suas paixões

Em relação aos anos das conquistas e o quadro de medalhas, Alexandrina foi enfática em destacar: “Eu nunca dei muita importância pra tudo isso eu gostava mesmo era lutar, as conquistas eram uma consequência”.

Em 1991 fixou residência em Pinheiro Preto

No ano de 1991, Alexandrina casou-se com Fernando Voidaleski e veio morar em Pinheiro Preto (conheceu seu esposo, em 1988 quando veio trabalhar na Perdigão, em Videira). Xanda brinca: “Trabalhei um ano e voltei para Joaçaba, mas o namoro não teve jeito de terminar”. Ainda completou: “Eu amo Pinheiro Preto, não sairia daqui por nenhum motivo. Esta cidade foi e é muito especial pra mim; fui muito feliz também em Joaçaba e sou grata a tudo que fizeram por mim”.

Depois dos nascimentos dos filhos Amanda, Morgana e João, a lutadora acabou se afastando aos poucos do tatame, mas a paixão e a história serão eternas (ah, essa ninguém jamais apaga!). No ano de 1997, após o nascimento do seu filho mais novo João, Xanda “aposentou-se” oficialmente do tatame.

Alexandrina voltou a ter contato com o judô, anos mais tarde quando por um período foi professora da modalidade em Pinheiro Preto. As aulas eram ministradas no Ginásio Municipal de Esportes.

Luta marcante

O episódio mais marcante na carreira de Alexandrina aconteceu nos Jogos Abertos, em Joaçaba no ano de 1989: “Fiquei campeã na minha categoria e no absoluto; Eu sempre lutei mais no solo, a minha técnica era mais aguçada no chão: ‘chave de braço’, estrangulamento e imobilização eram minhas especialidades”, comenta.

Em uma certa luta naquele ano, com uma das minhas adversárias, eu consegui pegar o braço dela e o golpe encaixou perfeitamente; ela não tinha como escapar e não batia no tatame (sinal visual de entrega da luta). Eu fui forçando o braço dela e ela não se ‘entregava’ para a arbitragem, lembro de sentir cada ‘barulhinho’ do braço de minha adversária estalando até quebrar.

Importante destacar que, eu não tinha como largar porque o atleta tem um certo tempo (aproximadamente 30 segundos) para finalizar a técnica ou o árbitro paralisa a luta e a reinicia em pé. Este foi o primeiro braço que quebrei.

Por usar a técnica de estrangulamento, já tinha feito meninas desmaiar, “mas não me preocupava tanto, pois sabia que sempre tem uma equipe profissional no local, que presta atendimento no momento. Quebrar o braço de um adversário (companheiro) é muito ruim, mas eu quebrei e ganhei a luta”.

Luta em que Xanda fraturou o braço de sua adversária, em 1989.

Principais disputas e conquistas

  • Inúmeras edições do estadual do JASC (inclusive sagrando-se bicampeã em 1989 Joaçaba e 1990 Blumenau, e ficando o vice em Joinville 1992 e 1994, em Florianópolis); Medalha de Bronze do Sul Brasileiro em Curitiba, além de inúmeros Circuitos (Marinha, Ilha entre outros), etapas locais em diversos municípios (Taça Cidade), regionais e estaduais.

Na sua galeria de medalhas a que mais chama atenção, sem sombra de dúvidas, é uma da Confederação Brasileira de Judô.

Medalha de bronze no Sul Brasileiro e campeã catarinense do JASC

Xanda, representou o estado de Santa Catarina, duas vezes no Sul Brasileiro, em Curitiba. Já na primeira participação trouxe a medalha de bronze. A ex-atleta relata que estava bem no início da carreira e nem faixa ela tinha. Na ocasião o presidente da Federação Catarinense de Judô foi quem confeccionou uma faixa verde, para ela poder lutar. Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro foram os estados que tiveram atletas participando da disputa.

Na segunda vez, Xanda lutou com a campeã mundial Tânia Yschi.  Alexandra relata: ” Nesta ocasião, minha vitória foi não cair logo nos primeiros minutos”

Galeria de medalhas da atleta, outras tantas se perderam com o tempo…

Xanda finalizou o bate papo descontraído com o La Pelota comentando:  O judô tem tudo a ver com a pessoa que me tornei. A família e o esporte me trouxeram as minhas maiores alegrias

Alexandrina e sua filha mais velha Amanda
VEJA TAMBÉM
COMENTÁRIOS
Carregando