A maior conquista do futebol amador do meio oeste (1984)

Ipiranga venceu o Asa Branca na decisão do Estadual de Amadores

Os anos 80, ficaram marcados como o principal período da história esportiva do Ipiranga Futebol Clube de Tangará, pois conseguiu naquela década conquistar quatro vezes o campeonato regional amador (81 a 84), além de alcançar a sua principal conquista e uma dos grandes feitos esportivos de equipes da região: o título do Campeonato Estadual de Futebol Amador de 1984, e ainda disputar por quatro temporadas a segunda divisão do campeonato catarinense.

Na foto em destaque da matéria, em pé da esquerda para a direita: Oliveira, Gilmar “Ferreiro”, Saturno, Nilson, Clade, Pepe, Zulmar, Pinto, Neri, Almerindo Ceron (técnico), Dirceu Arcari (prefeito na época) e Clair Berta.

Agachados: Luizinho, Bagulho, Padeirinho, Prego, Amarildo “Ico” Ceron, Ivor, Lauri, Formigão, Pelé e Rica Martelli.

O JOGO DE IDA, EM TANGARÁ

A primeira partida da decisão do estadual amador aconteceu em Tangará no Estádio Municipal Júlio Fuganti, onde o Ipiranga venceu o Esporte Clube Asa Branca de Apiúna pelo placar mínimo de 1 a 0, o que deu o direito da equipe tangaraense do técnico ‘Mirindão’ jogar pelo empate, na partida de volta, fora de casa.

  • Mirindão foi um apaixonado pelo esporte. Grande em todos os sentidos: de coração, de tamanho e na paixão pelo futebol. Montou grandes times e também gastou muito dinheiro com o futebol. Faleceu quando residia no Mato Grosso, com aproximadamente 52 anos de idade.

A PARTIDA FINAL, EM APIÚNA

No jogo de volta em Apiúna, empate sem gols, com direito a defesa de pênalti do goleiro tangaraense Gilmar “Ferreiro” nos minutos finais de partida, em cobrança do meio campista Valadares.

O jogo final foi muito disputado e teve a presença de público enorme, superlotando as dependências do Estádio Valter Braatz, em Apiúna.

Mas apesar de toda a pressão exercida sobre o adversário, o Asa Branca não encontrou o caminho do gol, desperdiçando inúmeras chances criadas durante o jogo.

O JOGO

Desde os primeiros instantes de jogo, o Asa Branca deu a nítida impressão de que golearia o adversário, indo insistentemente ao ataque com jogadas rápidas pelas pontas, onde teve maiores oportunidades na marcação do seu tento, através do seu melhor jogador em campo, o ponta direita Jair.

Só na etapa inicial pelo menos três chances claras de gol foram perdidas pelos atacantes do Asa Branca. Ademir recebeu da direita chutou da intermediária, exigindo boa defesa do excelente goleiro Gilmar, que foi a figura de destaque do Ipiranga na partida. Aos 16 minutos, o ‘cabeça-de-área’ (atualmente chamado de volante) Serginho é lançado dentro da pequena área e sozinho com o gol escancarado toca a bola pela linha de fundo. Noutro bom ataque do Asa Branca, novamente o comandante do ataque Ademir, apanha um rebote dentro da pequena área, mas não teve a tranquilidade para marcar, chutando a direita do goleiro Gilmar.

  • Nilton Silva transmitiu a decisão e levou a emoção pelas ondas do rádio.

Para o início do segundo tempo, o técnico Lairton Villain do Asa Branca, fez uma inteligente substituição, tirando o ponta esquerda Cido para colocar Niltinho, um dos responsáveis  pelo crescimento ainda maior do poderio de ataque.

Mas a sorte parecia que estava contra o time de Apiúna. Aos 30 minutos da etapa final, Jair é segurado dentro da área e Allan Giovani marca penalidade máxima contra o Ipiranga; estava aí a grande chance de abrir o placar e tentar na prorrogação obter o tão sonhado título.

DEFENDE GILMAR!

Depois de muita expectativa e de reclamações dos jogadores tangaraenses, o árbitro da partida autorizou a cobrança do tiro penal. O goleiro Gilmar defendeu a cobrança do meio campista Valadares, que na sequência do lance, acertou um chute na cabeça do arqueiro tangaraense, recebendo cartão vermelho direto.

CONFUSÃO

Inconformado com a perda do pênalti e a expulsão, o jogador Valadares partiu para cima dos jogadores do Ipiranga, tentando agredir, formando um enorme tumulto, que só foi controlado com a ação da Polícia Militar, presente no Estádio.

O árbitro deu mais 10 minutos de acréscimos. Mas nada mais impediria a tão sonhada e inédita conquista do Ipiranga de Tangará.

PREMIAÇÃO

A premiação aconteceu tão logo encerrada a partida e os jogadores do Ipiranga receberam das mãos de Pedro de Oliveira Lopes, presidente da Federação Catarinense de Futebol, um lindo troféu correspondente à conquista do título do Estadual de Amadores de 1984. Além do troféu, os jogadores campeões receberam medalhas das mãos do diretor técnico da FCF, Celso Teixeira.

Recorte do Jornal de Santa Catarina, destacando a conquista do título

FICHA TÉCNICA

Asa Branca: Márcio, Carlinhos (Gilmar), Ricardo, Peninha e Saulo; Serginho, Leco e Valadares; Jair, Ademir e Cido (Niltinho)

Ipiranga: Gilmar, Tonello, Gilmar, Mauri e Nery; Saturno, Clode e Lauri; Adair, Oliveira e Rica.

Arbitragem: Allan Giovani Abreu da Silva, auxiliado por Valdir Hammes e Nélson Schimidt.

O CAMPEONATO

A competição de 1984, teve a participação de 23 equipes, divididas em oito grupos classificatórios. O Ipiranga ficou com o título e recebeu a Taça Artenir Werner.

Em 2014, houve a comemoração dos 30 anos do título, com a presença de alguns atletas.

Nas temporadas que disputou a segundona do Catarinense, destaque para a vitória por 2 a 1 diante do Figueirense no Estádio Municipal Julio Fuganti para delírio da torcida, que compareceu em massa para prestigiar a equipe. Naquela tarde de quarta-feira a cidade parou e muitas empresas fecharam as portas, dispensando os funcionários para que pudessem acompanhar a partida.

A histórica goleada: Ipiranga 1 x 11 JEC

Em 1976, o Ipiranga Futebol Clube (São Marcos) recebeu o Joinville Esporte Clube no Estádio Municipal de Tangará para uma partida amistosa.

A partida ficou marcada por ter recebido um dos maiores públicos da história do estádio naquele domingo chuvoso e por ter sido a maior goleada aplicada pelo JEC em toda a sua história (11 a 1).

No final de semana seguinte o JEC conquistaria seu primeiro título estadual e que iniciaria uma séria fantástica de conquistas.

O time contava com Ditão, Pompeu, Raul Bosse, Ladinho,Piava, Fonta, Ratinho, entre outros, enquanto o Ipiranga tinha: Lauri, Odenir, Dirceu, Zulmar, Evaldo, Ismael, Zelindo, Helio, Toninho, Debiazzi, Silvestrin, Aroldo, Rato, Luizinho, Sapo e era comandado por Almerindo Ceron. O gol do Ipiranga F.C foi marcado por Luizinho.

Ipiranga, em 1985, um ano após a histórica conquista do Estadual de Amadores
  • Segundo registros encontrados na internet, em 1985, um ano após a conquista do Ipiranga, o Renar de Fraiburgo ficou com o título do Estadual de Amadores

Confira uma história pra lá de curiosa de Almerindo Ceron!

Técnico Almerindo Ceron (Mirindão) já falecido, o primeiro em pé, levou o Ipiranga as principais conquista

Matéria: Gillian Olivo

VEJA TAMBÉM
COMENTÁRIOS
Carregando