Videira EC – Campeão da Taça RBS de Futebol Amador, em 1991

Três jogos abriram o Municipal de Futebol Veteranos de Videira
28/01/2019
RV – Tricampeão Municipal de Futsal, em Pinheiro Preto, no ano 2001
30/01/2019

Videira EC – Campeão da Taça RBS de Futebol Amador, em 1991

Há aproximadamente 28 anos, o Videira Esporte Clube (VEC) sagrava-se campeão da Taça RBS de Futebol Amador. A competição representava na época, o que hoje é o Estadual de Amadores – Fase Oeste.

A RBS, na condição de patrocinadora, reprisava os gols durante o Jornal do Almoço local. A partida final, em Videira teve transmissão da emissora de Chapecó, com narração de Plinio Ritter e reportagem de Rafael Hensel (sobrevivente da queda do avião da Chapecoense).

Rafael Henzel (segundo da esquerda para a direita), e Plinio Ritter (o quinto), transmitiram a decisão pela RBS Chapecó, patrocinadora do evento.

UM POUCO DA HISTÓRIA

O time foi montado para a disputa da Taça RBS, competição amadora de alto nível que teve a participação de 32 equipes.

Inicialmente buscou-se a formação da equipe, com uma uma seleção municipal de atletas que se destacaram no campeonato citadino. Depois, os reforços vieram de equipes do interior de Videira. Sabendo da necessidade de reforçar o elenco para a disputa do disputado campeonato, optou-se em selecionar alguns atletas dos municípios vizinhos de Tangará e Arroio Trinta.

Durante a competição, vários jogos complicados, porém a equipe fez uma grande campanha, perdendo apenas um único jogo, fora de casa, para equipe representante do município de Chapecó pelo placar de 2 a 1; porém o placar foi revertido, em Videira no jogo da volta, com juros e correção – 5 a 0. Alguns dos adversários no certame foram: Arabutã (Capinzal), Lira de Lacerdópolis, Nacional de Ipira, entre tantos outros. 

Na opinião de Gena, capitão e zagueiro da equipe, o jogo mais difícil daquele campeonato, foi diante do Nacional de Ipira, onde a equipe obrigatoriamente precisava da vitória. Saiu atrás do marcador, porém encontrou forças para buscar a virada, mesmo jogando fora de casa, em um jogo muito nervoso, que terminou com agressões ao bandeirinha da partida, e com a equipe videirense tendo que sair escoltada do estádio.

OS ATLETAS E DIRIGENTES

Clodo Megiollaro, Itamir Ceron, Granetto, Milico, Charles, Conga, Carlinhos, Gena, Fusca, Kiko Thomé, Menegazzo, Silvério, Melãozinho, Alemão, Adir Comunello, Dirceu Rigo, Toninho Baiaio e Nei, eram alguns dos atletas da vitoriosa equipe. Luiz Carlos Spanholi era o técnico e Osni Nunes, o Gago era o massagista. O presidente do time era o Doutor Oscar Terebinto e Luiz Olinger o vice.

A DECISÃO

Na grande final, o adversário foi o Juventude. Em Lindóia do Sul, empate em 0 a 0, em uma partida bastante equilibrada.

No jogo da volta, com o Estádio Municipal Luiz Leoni completamente lotado, novo empate em 0 a 0 no tempo normal e também na prorrogação, resultado que levou a decisão para os pênaltis. Nas cobranças de penalidades máximas vitória do VEC por 4 a 3. Menegazzo pegou duas cobranças. Gena, foi o encarregado da última cobrança videirense. E não deu outra: Gol e título que foi tão comemorado pela equipe, torcedores e familiares presentes.

O time escalado para a partida final foi o seguinte: Menegazzo, Milico, Gena, Silvério, Melãozinho, Itamir Ceron, Clodo Megiollaro, Adir Comunello, Kiko, Granetto (Dirceu Rigo) e Toninho Baiaio.

A FASE ESTADUAL GERAL

Na fase geral do Estadual, o scratch videirense acabou não tendo uma boa campanha, perdendo para equipe de Lages e de Joinville, e se despedindo precocemente da competição.

CURIOSIDADES

  • Charles (centroavante) e Carlinhos (meio campo), são filhos de Pelé, que marcou época no tempo da Perdigão, campeã estadual em 1966.
  • Antes do VEC, existiu o VAC (Videira Atlético Clube). Em 2006, o VEC retornou, com outros diretores (documentação foi disponibilizada pela antiga administração) e participou da Divisão de Acesso do Futebol de Santa Catarina, onde acabou ficando com o vice campeonato.
  • O jogo de entrega das faixas (após o título, é claro) aconteceu com a Chapecoense, em Videira
  • A torcida sempre comparecia aos jogos em grande número no Estádio Municipal Luiz Leoni. O torcedor símbolo era o Caieira.
  • Das 31 edições do Estadual de Amadores – Fase Oeste, em cinco, o Juventude de Lindóia do Sul ficou com o título, o que o torna o maior campeão do certame.
  • Infelizmente o projeto do VEC, durou mais dois anos, encerrando suas atividades, em 1993, por falta de apoio financeiro. Como destacado acima, retornou em 2006, sob nova direção, apenas com o mesmo nome.

Jogo da entrega das faixas foi com a Chapecoense


GENA, O MULTICAMPEÃO 

Genir José dos Santos Pereira, o Gena, atualmente com 59 anos, passou boa parte da sua carreira esportiva colecionando títulos no esporte de Videira. Quis o destino, que nascesse e residisse perto do Estádio Municipal Luiz Leoni, onde passou boa parte de sua infância, o que certamente o fez, com que aflorasse ainda mais, a paixão pelo futebol. 

Fez sucesso no futsal, no futebol de campo e mais tarde no futebol suíço, detalhe importante: em todas as modalidades com a mesma intensidade. Ele até se arriscou no Handebol, mas aí não deu muito certo. Diz o ditado: “Ovelha não é pra mato” (risos).

É provavelmente o maior campeão do esporte amador da cidade de Videira, ultrapassando a marca de 100 conquistas. Mesmo que não tenha feito parte do período de ouro, atuou na equipe de futsal da Perdigão, onde teve a oportunidade de enfrentar craques como Morruga, Manoel Tobias, entre tantos outros, além de conviver de perto com as estrelas da Perdigão, como é o caso de Jackson.

Gena, cansou de conquistar campeonatos municipais no futsal, principalmente com o Misto (uma das melhores equipes que Videira já teve comandada pelo lendário Adelmo Albiero), mas a mais importante foi com o Flamenguinho (na grande final, venceu a forte e tradicional equipe do Carcará). No futebol de campo, colecionou troféus no Misto, Grêmio, Santos, Colorado, Floresta. Ainda foi o autor do primeiro gol do Ginásio Vermelhinho da SERP (inaugurado em 29 de maio de 1981. Detalhe curioso: Gena faz aniversário no dia 28 de maio), diante do Caça e Tiro de Lages. Gena, parou de disputar competição, há aproximadamente cinco anos, e talvez só por isso deixou de conquistar títulos. É realmente uma lenda viva.

Placa de Inauguração do Ginásio Vermelhinho

Na segunda feira (28/01/2019), Gena esteve participando do Programa Show do Esporte da Rádio Vitória AM 1320, onde contou muito sobre esta linda história construída no esporte.

Deixe seu comentário
Compartilhe!
Ronaldo Piscinas
Comercio Zanella 728×90