Perdigão – Campeã Brasileira de Futsal dos Jogos do Sesi, em 2004

LCF: Lages, Curitibanos e Pinhalense estão na semifinal do Turno
26/06/2018
Espetáculo: palavra que define a abertura do JESC, em Videira
27/06/2018

Perdigão – Campeã Brasileira de Futsal dos Jogos do Sesi, em 2004

Que história meus amigos…Vale a pena conferir!

Em 2004, o time de futsal da regional de Videira da Perdigão, sob o comando do técnico João Carlos de Queiroz, o Juca, sagrou-se campeão brasileiro dos Jogos Sesianos, que aconteceram em Recife, em Pernambuco. Com a conquista, o scratch videirense conquistou o direito de participar do Mundial daquele ano, que aconteceu logo na mesma semana, e a equipe acabou ficando na 4ª colocação.

A CAMPANHA

Na fase local, dos Jogos Sesianos, a Perdigão venceu dez partidas, terminando a competição de forma invicta. Já no regional, venceu as três partidas que disputou, derrotando na grande final a Sadia.

No estadual, mais três vitórias: inclusive sobre uma potência: a Tupy de Joinville. No sul brasileiro foram duas goleadas: 6 a 2 nos Correios (Paraná) e 5 a 2 na Azaléia (Rio Grande do Sul). Com estes resultados equipe se credenciou pela segunda vez na história a representar o estado nos Jogos Brasileiros Sesianos da modalidade de futsal masculino (na primeira em 1995, ficou com a 5ª colocação).

BRASILEIRO

Os jogos foram realizados em uma arena montada na areia da praia do Pina, em Recife. Paralelo aos brasileiros, aconteceria também os Jogos Mundiais, onde a principio a equipe da Aloca, representaria o Brasil.

Só quando a delegação da Perdigão, chegou em Recife, no estado de Pernambuco é que ficou sabendo que os dois primeiros classificados teriam também vaga no mundial, que aconteceria já na mesma semana. O que pegou todos de surpresa.

Na primeira partida dos Jogos Nacionais, a equipe catarinense da Perdigão, teve muitas dificuldades para superar a equipe da Mitsubishi de Goiás (placar de 3 a 1, gols anotados por Ildo, Odair e Xeleca).

No segundo jogo, mais uma vitória suada, desta vez pelo placar de 1 a 0, diante da Samsung do Amazonas. Faltando apenas, dois minutos e meio para o término do jogo, o árbitro marcou pênalti para a Perdigão; Ildo foi para a cobrança e chutou para fora, para o desespero do técnico Juca, porém a redenção veio minutos mais tarde, quando o próprio Ildo de cabeça, marcou o gol da vitória.

Xeleca, com a bola, era um dos pivôs da equipe.

No terceiro compromisso da competição, a Perdigão venceu a Polyenka de São Paulo por 2 a 1 (dois gols de Odair). Nesta partida, a equipe videirense teve seu capitão Luiz Deluque expulso pela arbitragem da partida.

No jogo decisivo, diante do JR Folheados do estado do Ceará, a equipe videirense precisava do empate para ficar com o título: e foi justamente o que aconteceu. Sem três dos seus títulares, a equipe da Perdigão segurou o empate em 2 a 2. Claudecir e Xeleca, marcaram os gols da partida.

Curiosidades da partida final

A Perdigão perdia o jogo por 2 a 1. Restavam 10 minutos para o encerramento; foi quando apareceu a estrela do pivô Alemão, que em um rápido contra ataque tocou a bola para Xeleca, empatar a partida. Depois disso, foi aguentar a pressão e segurar o resultado, para garantir o título.

Fato curioso da grande final, é que a partida foi paralisada várias vezes por causa da chuva. O grande nome do jogo foi o goleiro Ede, que salvou o time em vários momentos: chegou a fazer três defesas seguidas, à queima roupa. Outro destaque positivo da final, foi pivô Alemão, chamado pela crônica esportiva da época, como um ‘tanque de guerra’, devido a seu porte físico.

Campanha no Brasileiro

A equipe da Perdigão foi campeã brasileira invicta e empatou somente um jogo. Durante a competição equipe fez oito gols e sofreu seis.

Alemão: ‘o tanque de guerra’

O pivô José Carlos Altenhofen (na época com 35 anos), de pele clara e 1,82 metros de altura, chamado carinhosamente de Alemão, ficou conhecido durante a competição também como: “o tanque de guerra”, haja vista que trombava com os adversários sem sair do lugar.

Recorte de Jornal da época, falando de Alemão.

MUNDIAL: 4ª colocação

Com a conquista do brasileiro, equipe comemorou também a vaga para a Copa do Mundo de Futsal, que já iniciou as disputas no dia seguinte, também em Recife.

Na primeira partida (pela manhã), superou a forte equipe da DAÍ, da Dinamarca, por 2 a 1 (gols de Marquinhos e Xeleca), avançando para a semifinal (que aconteceu logo a tarde), onde enfrentou a Samsung do Amazonas e desta vez, acabou perdendo por 2 a 0, em um grande jogo de duas potências do futsal operário nacional. Vale destacar, que na fase nacional, equipe videirense tinha vencido este mesmo adversário por 1 a 0.

A derrota na semifinal do Mundial, foi a primeira desde que o time começou a disputar a fase local, perfazendo 15 vitórias e um empate.

Na decisão do terceiro lugar, equipe acabou perdendo para Israel por 2 a 1 (gol de Xeleca), ficando com a 4ª colocação. O campeão da Copa do Mundo, acabou sendo a Samsung Amazônica, do estado de Amazonas.

Sem sombra de dúvidas, a maratona de jogos fez o rendimento da equipe baixar na Copa do Mundo de Futsal do SESI (equipe chegou a disputar 2 jogos em um dia). Sem contar os desfalques dos jogadores Tito e Ildo, que estavam machucados e diminuíram o plantel para oito atletas.

  • Período de disputa do Brasileiro e Mundial: 21 a 26 de março de 2004.

O ELENCO

Andrei Nesi (goleiro)Nesi
Edemilson Couto (goleiro)Ede
Marcos Paulo da SilvaMarquinhos
Eron Antunes dos Santos (auxiliar técnico) Gasparzinho
Alexandre DiasXeleca
Ildomar ToniazzoIldo
Antônio Marcos dos AnjosBodinho
Luiz Antônio DeluqueDeluque
Eron KremerBode Véio
José Carlos AltenhofenAlemão
Odair José Zacaron Tito
Odair MaidanaCafé
Claucir Gonçalves CordeiroKati (Salto Veloso)
Narci Pascoali Pascoali
João Carlos de Queiroz (técnico)Juca

Deluque (camisa cinza) era o capitão da equipe.

MUITA FESTA NA CHEGADA EM VIDEIRA

Assim que chegaram em Videira, a delegação foi recebida com muita festa. Os atletas participaram de uma carreata, desfilaram no caminhão dos bombeiros e seguiram para uma confraternização entre os jogadores e familiares.

O Campeonato Brasileiro do SESI, na época era disputado a cada dois anos. Ouviu-se que, se o mundial fosse realizado antes deste período, o time videirense seria um dos representantes do Brasil na competição que aconteceria na Austrália (porém isso mais tarde, não se confirmou).

Em 2017,  alguns dos jogadores campeões, em 2004, se reuniram para partida comemorativa, que aconteceu no lendário Ginásio Vermelhinho, em Videira.

CURIOSIDADES

  • Em 2004, a Perdigão também foi campeã sul brasileira dos Jogos do Sesi, no tênis de campo, porém a modalidade não foi realizada na etapa brasileira.
  • Em 2005, a base de atletas campeã dos Jogos Brasileiros do SESI, formou o Grêmio Floresta/Westline Futsal que participou do Estadual de Futsal da 1ª Divisão (postarei uma matéria especial e mais detalhes sobre esta equipe me próximas edições).

 

  • O meu agradecimento especial a Narci Pascoali, por fornecer esse rico material de informações. Muito obrigado meu amigo!

Recorte de Jornal da época

ILDO: Autor do primeiro gol da ADV, em 2008

Ildo foi o autor do primeiro gol da história da ADV (Em Seara, 2008)

Deixe seu comentário
Compartilhe!